Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Jane Austen Portugal

O Blogue de Portugal dedicado à Escritora

Fanny e suas versões.

Não acredito que uma adaptação para a televisão/cinema tenha de ser totalmente fiel a cada vírgula de um livro no qual o seu argumento se baseie. Tenho a certeza de que já teria deixado aqui esta minha afirmação. Embora goste de ver um filme ou série que segue a narrativa de um livro, não me incomoda que a versão filmada tome alguma liberdade; o oposto seria omitir a criatividade de uma obra.  Contudo, não posso também deixar de dizer que o único factor que me transtorna um pouco é quando uma filme ou série foge à essência da obra literária. Isto já acho um pouco irritante.

Se nunca tivesse lido Mansfield Park, se esta obra não tivesse se tornado uma das minhas preferidas e  se nunca tivesse tido o prazer de conhecer os pensamentos e acções de Fanny Price,  tenho a convicção de que toleraria melhor as versões de 1999 e de 2007.

Sem entrar em outros detalhes das duas versões - e isto levaria muitos parágrafos - gostaria apenas de centrar a atenção na forma como Fanny Price foi representada em ambas a versões.

 

 

MANSFIELD PARK | 1999 | Miramax 

Direcção e argumento: Patricia Rozema

 

Fanny Price -  Frances O'Connor

 

Frances O'Connor cria uma Fanny Price com vitalidade e energia. Por momentos, não sei bem se estou a ver Fanny Price, Elizabeth Bennet ou a própria Jane Austen. Concluo que Fanny Price não é, de certeza… Acho que nesta versão há um pouco esta intenção, de nos mostrar uma Fanny que, no fundo, é uma Elizabeth Bennet e que diz umas frases de Jane Austen. A energia de Fanny está na força do seu carácter e da sua determinação em ser correcta; e, não propriamente em descer escadas a correr e andar a saltitar por Mansfield Park. Há vários momentos, ao longo do filme, em que a vemos a ser exactamente o oposto de Fanny; ou seja, ao contrário de ser silenciosa e obediente, Frances/Fanny responde precipitada, apaixonada e veementemente. Há momentos em que mostra-se muito distante da nossa discreta Fanny.

 



 -MANSFIELD PARK |2007 | ITV  

Direcção:  Iain B. MacDonald | Argumento: Maggie Wadey


Fanny Price - Billie Piper

Com Billie Piper assistimos uma Fanny Price mais infantilizada. Melhor dizendo, uma Fanny mais nova e ainda menina. Também ela, enérgica e vivaz. Surge, também,  a correr e a saltitar por Mansfield Park.  Mostra-se mais frágil, observadora, doce e silenciosa; contudo, não tem a fibra de carácter, o tipo físico e a maneira de estar de Fanny Price que Jane Austen descreve. Billie Piper, mesmo sendo bela, foge ao tipo físico frágil que a Fanny Price deveria apresentar e, arrisco-me a dizer, tem até um ar sensual que em nada condiz com uma personagem de Jane Austen. Outro aspecto físico que me incomodou foi o facto dela ter sido caracterizada em grande parte do filme com o cabelo desgrenhado. Sei que este aspecto foge ao domínio da interpretação da actriz, mas certo é que influencia a forma como a vemos no seu todo.

 

 

 

Há um aspecto de que gostei em Billie Piper: ela conseguiu, algumas vezes, demonstrar a desconfiança que tinha em relação à Mary Crawford; bem como a mágoa de ter sido preterida pelo primo surgia como um sentimento muito evidente. Este é um mérito que não consigo encontrar em Frances O'Connor.

Apesar de liberdade criativa que cada argumento adaptado tem direito, bem como o seu próprio enfoque, desgosta-me profundamente que uma história tão densa e profunda como Mansfield Park e a sua personagem principal tenham sido desenhadas de uma forma tão superficial. Aponto o dedo mais ao argumento de ambos os filmes do que propriamente às actrizes.

Uma certeza é muito viva para mim: Fanny Price merecia ser melhor apresentada. 

 

Pior Escolha feminina nas adaptações

  • Billie Piper/Mansfield Park

 

Não morro de amores por Mansfield Park 2007, todavia, considero que essa adaptação representa uma certa maneira de encarar esta tão complicada obra de Jane Austen. Ainda assim, não posso deixar de partilhar convosco algum mal-estar que sinto quando revejo esta versão. Billie Piper não perfaz a minha visão de "Fanny Price", está bem longe disso, faz dela uma rapariga um tanto ou quanto infantil, imatura, indecisa e muito ágil. Fanny Price não é infantil, tem uma consciência muito madura, também não é indecisa, pois sabe o que quer, e tem um lado frágil, propenso à doença e nenhuma destas características Billie Piper preenche. Não creio que seja um total erro de casting, todavia, os 90 minutos do filme não permitem grande desenvolvimento e Mansfield Park e Fanny Price, requerem igual porção de tempo e paciência, pois só assim aprendemos a apreciar esta heroína.

Fanny Price

 

Ann Kronheimer Rengecy Images Paper Dolls

 

 

Fanny Price é a mais estranha das heroínas criadas por Jane Austen e protagoniza o romance "Mansfield Park.

Austen descreve-a como sendo "extremamente tímida e envergonhada, desejando passar despercebida".


Considero que é uma personagem bastante incompreendida por todos até pelos mais interessados em Jane Austen.

Talvez seja o seu carácter pouco "heróico", a sua subserviência, a sua timidez exagerada, a sua aparente falta de carácter e personalidade.


É uma personagem controversa, sem dúvida, extremamente moralista e com uma enorme capacidade de julgamento das atitudes dos outros que a faz ter sempre razão, e percebemos isso pelos seus devaneios e pensamentos que são o essencial da história para que possamos compreender Fanny que, de entre todas as personagens, é a única que imagino capaz de existir na vida real.


Fanny vai viver com os tios ricos aos nove anos. Em Mansfield encontra Edmund, seu primo, o único que se preocupa com ela.

Fanny vive paralelamente às situações que a rodeiam, não participa activamente, vagueia com as outras personagens e ajuíza-lhes as atitudes, o carácter, os defeitos e qualidades.

Só no último momento, encontra o amor, depois de ter sido negligenciada toda a vida.

 

Fanny foi levada para os ecrãs com as actrizes:




Billie Piper e Fanny Price

 

Billie Piper foi a actriz que interpretou Fanny Price na adaptação de Mansfield Park de 2007.

Confesso que na altura achei a série da BBC muito aquém da obra que tinha, simplesmente, adorado.

 

Fiquei estupefacta quando li alguns artigos por aí que retratavam esta adaptação como a "estupidificação de Mansfield Park" (artigo integral aqui). Nesse artigo do blogue Jane Austen's World a autora escreve sobre a série:

 

"Mrs. Norris é apenas uma personagem irritante; as irmãs Bertram deixam praticamente de existir depois do casamento de Maria com Mr. Rushworth; não há o regresso a Portsmouth, na realidade não há qualquer Portsmouth; os irmãos Crawford parecem não viver em lado algum"

 

Devo confessar que muitas destas "lacunas" também reconheci enquanto via a série e achei a ausência de Portsmouth inqualificável... mas enfim!

 

 

 

Mais adiante a mesma autora do artigo diz acerca da actriz:

 

"Billie Piper está o mais longe de Fanny Price do que qualquer outra actriz, na minha imagem dela, pelo menos. Apresenta-se demasiado moderna com caracterísitcas faciais muito actuais. (...) A actriz não conseguiu encarnar a personagem, e apesar da sua doçura, fez uma versão muito insípida de Fanny Price"

 

Nunca tinha pensado nisso, mas de facto, a versão que a actriz criou de Fanny Price ficou longe de alguma firmeza de carácter que Fanny Price demonstra no romance, mas apesar de tudo, penso que foi a falta de algumas cenas que levaram a que a personagem ficasse tão incompleta. Por exemplo, a cena que se passa na Mansão de Mr. Rushworth e o passeio que o integra, creio que é essencial para mostrar a dúvida interior de Fanny Price.

 

 

Para quem já viu Mansfield Park (2007), quais as vossas impressões?