Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Jane Austen Portugal

O Blogue de Portugal dedicado à Escritora

Shortstory 2 -parte 31

As horas passaram a correr. Apesar de o tempo de encontrar pluvioso, algumas paragens na queda de chuva permitiam às irmãs umas saídas para apanhar ar fresco. O momento antes de o almoço ser servido, era o ideal porque o sol aparecia durante breves minutos.

Falaram de tudo. Da mãe e do pai, Mr e Mrs Bennet, que pareciam agora um pouco mais próximos um do outro, já que Mrs Bennet, não tendo mais nenhuma filha para casar, experimentava menos crises nervosas e estava mais disponível para passeios com o seu marido. De Lydia, que andava com Wickham de um lado para o outro, sem nunca conseguir assentar. De Kitty, que parecia agora andar mais calma, casada com o Capitão Rickmanworth, e a ausência de Lydia fazia toda a diferença, e Mary, que finalmente tinha saído da sua redoma virtuosa e literária. Comentaram a vida de Mr Collins e Charlotte, cuja única mudança havia sido que filhos que entretanto tinham tido.

Darcy e Bingley iam caçar quase todas as manhãs, não tanto por ser um passatempo que ambos apreciavam, mas para deixarem as suas mulheres conversarem plenamente. Os serões eram passados a jogar, com a animação que seria de esperar.

                                                                              *

Emma Woodhouse chegou a Pemberley apenas dois dias antes da partida de Jane e Mr Bingley. A sua frescura e acessibilidade não surpreendeu o casal, pois já tinham ouvido falar muito de Emma através de Elizabeth Darcy. Chegou sozinha, e com a energia que a caracterizava. Todos os que ainda não se conheciam foram apresentados.

Emma estava a espera de encontrar Anne Elliot, pois Elizabeth tinha-lhe referido na sua carta que também a tinha convidado para lá passar uns dias. O baile que dera no mês de Agosto tinha como objectivo principal juntar Anne com o seu amigo Frederick. Pelo que ela tinha escutado (através de outras pessoas e até, por uma vez ou outra, com o ouvido colado às portas – mas tudo em nome de uma causa maior) tudo se tinha acertado entre os dois, apesar de Anne estar de casamento marcado com Mr Elliot. Mas depois desse dia o seu pai tivera uma recaída, e ficara de cama nas semanas seguintes. Emma não tivera tempo para pensar em mais nada, até porque os seus sentimentos em relação a Mr Knightley não estavam bem definidos e isso não saía da sua cabeça.

- Lizzie, quando é que a Anne vem para Pemberley? – perguntou Emma, quando já se encontravam acomodadas na sala de visitas.

- Bem, na verdade ela não vem.

- Não? Eu estava convencida que ela acederia ao convite. Nunca mais falei com ela, porque tenho estado deveras ocupada com o meu pai.

- A carta de resposta de Anne foi bastante elucidativa, para ser sincera. Disse-me que está em preparação para o seu casamento, que está para muito breve. Mas prometeu que viria assim que o casamento tivesse lugar.

- Mas isso é imensamente estranho. Frederick Wentworth não me disse uma palavra sobre o assunto. Mesmo que andasse muito ocupado, isso não é desculpa – afirmou Emma, com indignação.

- Por que deveria o capitão Wentworth de saber detalhes sobre o casamento de Anne? – perguntou Elizabeth, com espanto.

- Bem, porque ele é o noivo.

- Noivo? Como assim? A Anne vai casar com o seu primo, Mr Elliot. Onde foste buscar tal ideia?

 

Emma estacou perplexa a olhar para Elizabeth, que não compreendia nada do que se estava a passar.

1 comentário

Comentar post