Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Jane Austen Portugal

O Blogue de Portugal dedicado à Escritora

Shortstory 2 - Parte 30

O dia esperado chegou, por fim. Jane e Bingley chegaram mesmo a tempo de almoçar em casa dos Darcy. A alegria foi contagiosa quando Jane e Elizabeth se abraçaram como se não se vissem há uns bons anos. Mas esta era uma ocasião especial, uma ocasião em que a esperança e o conforto voltavam ao coração das duas irmãs. Das três irmãs, pois Georgina rapidamente se junto ao par e era uma pessoa muito querida entre as duas. Uma verdadeira irmã.

 

Bingley e Darcy já tinham ido para o balcão que existia em volta da casa.

 

- Parabéns. Deus devolve sempre a felicidade a quem merece. Tu e a Lizzie merecem ser felizes, meu amigo – revelou Bingley com toda a sinceridade.

 

- Estava a começar a duvidar. Mas a Lizzie é a mulher mais forte que eu já conheci em toda a minha vida – meditou Darcy, pensando pela centésima vez na sorte que tinha. Uma mulher como ela, com a vivacidade e um carácter forte, não era muito fácil de encontrar. Provavelmente, nem existiria mais nenhuma.

 

- Sim, é verdade – aferiu o seu companheiro.

 

Darcy notou uma certa amargura na afirmação de Bingley, e nem precisou de perguntar o que se passava na sua vida. Sabia bem do que se tratava, pois Elizabeth já lhe tinha contado algumas confidências de sua irmã. Ter filhos sempre tinha sido um desejo dos dois. Jane tinha a paciência e o amor incondicional de uma mãe, Bingley o carinho e habilidade para lidar com crianças.

 

Os primeiros meses de matrimónio foram de total tranquilidade e harmonia para o casal Bingley. Mas o tempo foi passando e a vontade de Jane de ser mãe foi crescendo e crescendo. Mas passados quase cinco anos, Jane ainda não tinha conseguido engravidar. Por esta altura, esta vontade apenas ainda não se tinha transformado em obsessão devido à passividade do casal. Mas o desconforto começava a reinar em Netherfield. Por isso, a sua vida tinha sido tão aguardada também por eles.

 

Na sala, as mulheres falavam de bebés e do que se tinha passado de importante nas suas vidas no tempo em que estiveram separadas. Nada de estranho, portanto. Jane continuava igual a si mesma, e quando Bingley e Darcy voltaram para junto delas, o comportamento era igual ao que sempre tinha sido. A verdade era que Bingley e Jane se amavam e respeitavam acima de tudo. O facto de Jane não conseguir engravidar não ia retirar nada a este amor. Contudo, a angústia reinava no coração de cada um.

 

Entretanto, Elizabeth escreve duas missivas destinadas aos seus mais recentes relacionamentos: Emma Woodhouse e Anne Elliot.

1 comentário

Comentar post