Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Jane Austen Portugal

O Blogue de Portugal dedicado à Escritora

Clube de Leitura Jane Austen Porto - a preparação II

O segundo email para as inscritas no Clube de Leitura Jane Austen no Porto, versou os bailes em Orgulho e Preconceito.
"Neste segundo contacto, e tendo em atenção o Baile em Meryton e em Netherfield, iremos abordar a importância dos bailes na época em que decorre a acção do livro.
 
Os bailes tinham uma importância extrema na sociedade da época de Jane Austen. Quem já leu Orgulho e Preconceito ou outra obra qualquer de Jane Austn, facilmente perceberá isso. Numa época em que as distrações passavam por visitar parentes, vizinhos ou amigos, jogar às cartas ou bordar, não existia nada de mais agradável e empolgante do que um baile. 
 
No entanto, é necessário destacar que, para as jovens sonhadoras e em idade casadoira, um baile representava mais do que uma simples diversão pois era o momento mais oportuno e ideal para encontrar bons maridos. Através da dança, única ocasião em que era possível conversar e ter algum tipo de contacto físico com os rapazes, havia a oportunidade para conquistar a admiração de alguém (preferencialmente bem colocado social e financeiramente.
 
Jane Austen presenciava e vivia tudo isso no seu quotidiano. Descrevia-o nos seus livros e nas cartas que escrevia à irmã Cassandra. “Imagina tudo de libertino e chocante na maneira de dançar e sentar-se juntos” escreveu à sua irmã, referindo-se ao seu comportamentocom Thomas Lefroy, num baile. O que nos leva a entender porque as suas personagens ficavam tão empolgadas com os bailes. Em que outra ocasião poderia uma jovem do final do século XVIII fazer algo tão ‘chocante’!?
 
A dança comum na época (séculos XVIII e XIX) era a Contra DançaDe acordo com a Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira, a "contradança" era originariamente um música popular inglesa cuja designação "country dance" (que quer dizer "dança nacional") veio por corrupção a ser denominada "contredanse" desde que, no século XVII foi introduzida em França, e finalmente contradança com o seu aportuguesamento. Assim sendo, a própria designação contradança não constitui mais do que um equívoco resultante de uma deficiente tradução.
 
A Contra Dança é um estilo em que os casais dançam em duas linhas opostas, a um ritmo rápido e compasso binário, composta por várias secções de oito compassos que se repetem. É, no fundo, uma mistura de várias danças com melodias diversas que, mais tarde, deu origem às quadrilhas, à valsa, à polca, ao pas-de-quatre, etc.
Neste vídeo podemos ver a Contra Dança de uma forma simples de se entender: Contradança  (CTRL+ enter em cima)
 
Alguns tópicos de discussão:
  • A importância dos Bailes como forma de socialização
  • A Dança como forma de interacção entre os mais jovens
  • A importância de se arranjar um 'bom' casamento para as filhas

Se tiverem sugestões de temas que gostassem de abordar na sessão de discussão, por favor digam."