Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Jane Austen Portugal

O Blogue de Portugal dedicado à Escritora

Shortstory - parte 12

2O jantar decorreu agradavelmente. Todos estavam ao mesmo tempo animados e pensativos: Lizzy pensava como ía contar a Darcy a possivel novidade para poder chamar o médico e tirar todas as duvidas, Emma pensava em Wentworth e em Anne, Wentwoorth pensava no que ainda sentia por Anne (sempre aquele amor no seu coração), Anne pensava como iria lutar pela sua felicidade e onde arranjaria força para enfrentar o seu pai e como convenceria Wentworth, Darcy pensava no olhar diferente que Lizzy tinha e no que poderia significar, Mr Knightley pensava quando Emma se decidiria a casar e se algum dia pensaria nele para tal, Elinor pensava na sua irmã e como a abordaria para fazer o pedido que lhe queria fazer e Edward pensava no seu irmão e no que pretenderia ele com a visita que lhe tinha anunciado. Precisamente por todos terem a cabeça ocupada com os seus segredos e problemas, todos se esforçavam por manter a conversa animada, para assim distrairem os outros para que não reparassem no seu alheamento.

 

Após o jantar as senhoras ficaram sozinhas durante algum tempo, mas depressa os seus companheiros de serão voltaram. Aí começaram a formar-se pequenos grupos e Anne e o Capitão juntaram-se a conversar. O olhar dele tentava ver algo nos olhos dela e ela sabia muito bem o que queira que eles lhe dissessem. Ele pareceu percebê-la e questionou se ela queria ir apanhar ar fesco até à varanda pois estava uma linda noite. Anne aceitou e quando estendeu a mão para ele a sua mão tremia descontroladamente. Wentworth sorriu-lhe com os olhos cheios de agua. Não tinha forças para vencer aquele amor, mas sabia que ela o iria fazer sofrer outra vez. Ela nunca teria a firmeza de caractér que ele apreciava e que achava essencial na companheira que escolhesse para a vida. Mas o seu coração não ficava indiferente a estas demonstrações de afecto por parte dela. Ele sabia que ela o amava... tinha a certeza disso sempre que estava perante ela e analisava aqueles olhos que aprendera a ler profundamente.

 

Lizzy sentia tonturas e calor. Nem se atrevia a levantar de onde estava. Darcy olhava-a de onde estava insistentemente.

- Lizzy querida vem para junto de nós. - disse Darcy

- Sim Lizzy vem-me ajudar por favor a convencer Mr Knightley que um grande amor não pode ser esquecido. - disse Emma sorrindo.

 

Lizzy tentou levantar mas mal elevou o corpo caiu. As tonturas e o calor estavam a deixá-la muito mal disposta e as pernas não se mantinham direitas e fortes para caminhar. Darcy desculpou-se e levou-a para o quarto. Deitou-a na cama e quando ela o olhou ele estava com as faces inundadas de lagrimas.

 

- O que se passa querido? - disse ela colocando a sua mão naquela face que ela tanto amava - Não é caso para tanto. é só uma indisposição. - Lizzy sorriu e resolveu brincar com a situação - Tens assim tanta pena de abandonar o jantar?

Mas ele não sorriu. Olhava-a com os olhos molhados e a boca cerrada. Levantou-se de repente e disse-lhe:

- Era o que querias não era? Deixar-me?

- Deixar-te? O que queres dizer com isso?- Lizzy sentou-se a custo na cama mas continuava muito indisposta e não conseguiu manter-se sentada.

Ele olhava-a com tristeza. Não acreditava que o amor dele não chegasse para ela ter vontade de viver. Edward fazia falta aos dois, era o bem mais precioso que eles tinham e ele sentia a sua falta todos os dias, mas por amor quer a ele quer a ela mantinha a sua vida. Edward seria sempre o seu filho e as saudades que tinha dele também doiam no seu coração.

- Finalmente conseguiste ficar doente para me deixares e ir para junto de Edward... Não foi o que disseste outro dia: que tinhas de estar com ele? Achas que eu não sinto também a falta dele todos os dias? Mas também sinto a tua... Pensei que me amasses mais, pensei que era o teu apoio como tu és o meu. Se não fosse por te ter perto de mim não teria aguentado a perda de Edward...

 

Era necessário acalmá-lo. Ele estava desesperado... e muito enganado. Lizzy esforçou-se por se levantar e caminhou até junto dele.

- Meu amor... não te quero deixar nem estou a tentar fazê-lo. Depois do que aconteceu com Edward, só por ti me mantive viva.

Respirou fundo e agarrando a cara dele para o obrigar a olhá-la nos olhos ela disse:

- Querido lembras-te da ultima vez que tive tonturas e más disposições frequentes? Lembras-te? 

O coração dele acelerou.

- Tens a certeza Lizzy? Isso é certo?

Era a vez dela de chorar e de aliviar o seu coração.

- Queria dizer-te primeiro para poder chamar o médico e tirar a duvida.

Darcy abraçou-a e ela sentiu-se tão segura... e sentiu que a vida voltou ao seu coração... não completamente porque iria haver sempre uma parte muito escura no seu coração, mas sentiu que algo renascia na sua vida.

 

Era urgente verem um medico.

   

4 comentários

Comentar post