Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Jane Austen Portugal

O Blogue de Portugal dedicado à Escritora

Intemporalidade

 

Ao ler as diversas obras de Jane Austen, não é difícil perceber vários elementos retratados que coincidem com comportamentos nossos contemporâneos.

Talvez seja um traço coincidente em vários bons escritores. Talvez seja essa capacidade que os torna tão capazes de criar uma teia social atractiva nas suas histórias. Talvez possamos até considerar que os comportamentos sociais e as personalidades humanas não mudam assim tanto com a mudança de espaço ou tempo. Isso levar-nos-ia a uma discussão um tanto filosófica.

A característica social que eu quero referir neste post é a importância dada às primeiras impressões.

No século XXI é muito fácil cair na teia das primeiras impressões. A maior parte das pessoas (para não dizer que são todas, por mais que custe a aceitar) tem uma tendência natural para julgar o outro assim que o conhece. É bonito/feio, simpático/antipático e por aí a fora.

Jane Austen retrata tudo isto na maior parte dos seus livros. Qualquer leitor assíduo já se terá lembrado de vários exemplos, provavelmente, provenientes de Orgulho e Preconceito.

Aquela que é considerada por muitos como a obra-prima da escritora, faz das primeiras impressões e das aparências dois dos temas centrais (de tal forma que O&P teve como primeiro título ‘First Impressions’).

Através de Elizabeth o leitor é levado a adorar as simpatias do interessante Wickham e a detestar o orgulho desmesurado de Darcy. Escusado será repetir o final desta história.

Mas, por todas as obras de Austen encontramos situações em que determinadas personagens divertem-se a julgar e criticar outras baseando-se na sua posição social, conforto financeiro, beleza, história pessoal (geralmente baseando-se em relatos poucos fiáveis), etc.

Jane Austen escrevia sobre a sociedade do seu tempo, portanto, não é um erro considerar que as pessoas se comportavam de forma semelhante às personagens dos livros que ela escrevia.

Sendo assim, a intemporalidade é apenas mais uma das grandes qualidades literárias de Jane Austen.

3 comentários

Comentar post