Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Jane Austen Portugal

O Blogue de Portugal dedicado à Escritora

Filmes e séries de Jane Austen: uma perspectiva pessoal

Fonte: Mesquitainforma

Por não conhecer todas as adaptações fílmicas e televisivas das obras de Jane Austen, restringir-me-ei apenas a comentar as que conheço.

Como já fiz saber num post anterior, o meu primeiro contacto com o contexto austeniano foi através do filme “Sensibilidade e Bom Senso” (1995), atraída sobretudo pelo desempenho das actrizes Kate Winslet e Emma Thompson. De qualquer forma, e apesar de adorar estas actrizes, fiquei muito surpreendida pela positiva, pois acho que o casting está muito bem escolhido, destacando a actuação dos actores que dão vida ao casal Palmer e ao par Sir John Middleton/Mrs.Jennings.

Também gosto muito da adaptação da BBC (série) de “Orgulho e Preconceito” (1995), sobretudo do par Jennifer Ehle/Colin Firth, podendo dizer que, a par da anterior, são as duas versões favoritas das obras de Jane Austen adaptadas para filme/série. Aliás, gosto mais desta versão do que a do filme de 2005, pois acho que este par não resulta tão bem com a Keira Knightley/Matthew MacFadyen. Ou melhor dizendo, penso que este par representa personagens muito contemporâneas, e eu se calhar sou mais conservadora neste tipo de adaptações.

Destaco ainda outras duas versões da BBC: o filme “Persuasão” (1995) com Amanda Root e Ciarán Hinds e “O Parque de Mansfield” (1983) com Robert Burbage e Susan Edmondstone. No primeiro caso adoro o desempenho dos actores que dão vida ao par Anne/Capitão Wentworth, sobretudo este segundo que pela sua tez escura e “rudeza” é para mim o protótipo do homem do mar. No segundo apraz-me não tanto o desempenho das personagens, mas sobretudo as técnicas televisivas, cénicas, de vestuário, associadas a uma determinada época da televisão inglesa.

Por fim “Emma” (2001), onde Gwyneth Paltrow interpreta de forma magnífica Emma, dando-lhe um misto de mimo, preconceito em paralelo com consciência e carinho. Muito bom.

Posto isto, só tenho pena que a Fnac não faça um pack especial “Jane Austen” (como aconteceu com o “Sexo e a Cidade” ou com os filmes de Manoel de Oliveira) com todas as versões até agora produzidas da sua obra. Não seria uma excelente prenda de aniversário/Natal?

5 comentários

Comentar post