Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Jane Austen Portugal

O Blogue de Portugal dedicado à Escritora

Lost in Jane Austen Portugal #24

Três após a morte da tia, Júlia escreveu um longo e-mail à irmã, já não eram e-mails relatando situações triviais com antigamente, mas sim tudo aquilo que acontecera desde o último e-mail e um ou outro comentário mais trivial, porque também de trivialidades vivem as pessoas.

Cecília e Henrique acharam melhor afastar-se do país e tinham encontrado na Inglaterra rural o refúgio perfeito. Compraram uma casa e tinham-na transformado num muito aprazível Bed&Breakfast, à boa maneira inglesa.

A D. Rata continuava a visitar Júlia, mas na falta da tia as suas visitas eram mais curtas e espaçadas, mas nunca deixava de as fazer porque não podia perder a oportunidade para saber o que se passava na casa.

Há cerca de dois meses, completamente falido, Luluzinho suicidara-se deixando para atrás uma vida indolente e muitas dividas para os familiares pagarem.

Eduardo ainda tinha tentado separar o irmão de Cecília, mas todos os planos tinham sido frustrados. Era agora presidente da junta de freguesia de Poiares e muito popular entre os seus eleitores. Sonhava com uma Camara, depois ser Primeiro-ministro e um dia Presidente da Republica, eram voos altos, mas ele era paciente e sabia jogar o jogo sujo da política.

Júlia tinha vencido no ano anterior um importante prémio literário e isso trouxera-lhe mais visibilidade, ainda não vivia da escrita, mas sabia que um dia isso iria acontecer. Num encontro literário conhecera João que era tudo aquilo que Luluzinho não era. Apesar das hesitações, dos medos, Júlia acabara por sucumbir e era agora uma mulher feliz. Podia ser mais se vivesse perto da irmã, doía-lhe que ela não estivesse mais perto. Felizmente a distância era mitigada por longos e-mails, mensagens no facebook, conversas através do Skype.

Júlia clicou no enviar do programa de e-mail e sentiu-se feliz por haver tanta tecnologia que aproximava quem estava longe. Até ao fim do dia Cecilia iria responder. Se fosse noutros tempos, escreveria uma carta e esta demoraria muitos dias a chegar a Cecilia e outros tantos a chegar a resposta.

 

 

FIM

 

 

9 comentários

Comentar post