Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Jane Austen Portugal

O Blogue de Portugal dedicado à Escritora

Top Jane Austen - terceira parte

 

 

Todas as heroínas de Jane Austen têm qualidades e defeitos fascinantes. Se pensarmos bem, podemos encontrar um pouco delas dentro de nós. Eu tenho um grande carinho por Anne Elliot (Persuasão) e por Elinor Dashwood (S&BS), ambas por motivos diferentes. Anne, pela sua capacidade de abnegação e de sofrimento. Tudo ela suporta em silêncio.  Elinor pela sua dedicação à família e pela sua força de carácter. Ela coloca todas as pessoas antes até do seu próprio bem-estar. É altruísta. É também uma mulher forte, racional e dedicada. Ambas são as minhas preferidas. Não posso escolher somente uma. 

 

Também não posso escolher somente uma dentre as menos preferidas. Eu elegi Jane Bennet (O&P) e Marianne Dashwood (S&BS). Na realidade, não há nada nelas que me irrite ou que me desgoste ao extremo; elas apenas possuem algumas características que me impedem de gostar delas inteiramente. A primeira, Jane Bennet, por ser demasiado passiva. A segunda, Marianne, por ser tão injusta com Elinor durante grande parte da obra.

 

 

Há algumas categorias na selecção deste top que são extremamente difíceis… Para mim, é extremamente difícil eleger o meu herói preferido. Convenhamos, Jane Austen desenhou homens maravilhosos… Passei várias dias a pensar… e cheguei a uma conclusão: três nomes não me saem da mente. Portanto, perdoem-me não optar somente por um. Mr. Knightley, Mr. Tilney e Capitão Wentworth. Por esta ordem. Explico: provavelmente, para quem lê toda a obra de Jane Austen, Mr. Knightley não seja o mais apelativo. Ele não faz grandes gestos, não é uma pessoa que chame a atenção. Mas ele tem os requisitos que despertam em mim uma grande admiração: frontalidade, verdade, correcção, lealdade, discrição, humor. Para além de, claro, ser um verdadeiro cavalheiro. Mr. Tilney é um forte candidato a ser, no futuro, um Mr. Knightley. Ele também frontal, verdadeiro, correcto, leal e tem um enorme senso de humor. Adoro a forma como ele, no fundo, enfrentou o pai para ir ao encontro de Catherine Morland após ela ter sido expulsa da Abadia. Acto digno -  também - de um verdadeiro cavalheiro. Eu só coloco o Capitão Wentworth em terceiro lugar porque ele foi um pouco cruel com Anne ao andar a namoriscar as irmãs Musgrove. É certo que ele tinha o orgulho ferido mas foi Anne quem teve de sofrer a perda do amor e, ao mesmo tempo, permanecer a viver naquela casa e família em que não era compreendida; enquanto ele andou a percorrer o mundo. Contudo, apesar disto, é um homem admirável. Um homem capaz de ser fiel a um sentimento tantos anos sem ter a esperança de voltar a reciprocidade do mesmo é algo incomum. Assim como é incomum um homem capaz de escrever uma carta como a que ele escreveu…

 

O meu herói menos favorito é Edmund Bertram, Mansfield Park. Na realidade, não tenho muito a dizer sobre ele. Ele é o oposto dos meus heróis preferidos: não é constante, não é leal, não é verdadeiro, não tem senso de humor e, mais uma vez convenhamos, é extremamente enfadonho. Um homem que não foi capaz de enxergar as qualidades de Fanny Price não merecia sequer ter conseguido um par, quanto mais casar com ela. Ele é um habitáculo de boas intenções, discursos e ideias preconcebidas mas na prática não foi capaz de ser fiel àquilo que ele defendia serem as suas convicções. Por isso, Edmund, perdoe-me mas irás para o fundo da lista.

[Eu preferia casar com o Mr. Collins do que com o Edmund Bertram.]

 

 

2 comentários

Comentar post