Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Jane Austen Portugal

O Blogue de Portugal dedicado à Escritora

O Excepcional Mr. Robert Martin

 

 

Mr. Martin, é o chefe de família, uma vez que é órfão de pai e por isso, tem de sustentar a mãe e irmãs. Imagino-o ainda bastante jovem e por isso, com uma enorme responsabilidade nas mãos que ele assume totalmente e com bastante honra e dignidade, diria eu.

Não faz parte da classe alta de Highbury e por isso pouca relevância lhe é dada, ainda assim, é um personagem interessante.

 

Um personagem consideravelmente secundário... mas atenção, gerador das mais interessantes situações em toda a obra. Ele é o responsável por uma das melhores discussões entre Emma e Mr. Knightley, a propósito da rejeição de Harriet ao pedido de casamento de Robert Martin.

 

"Nonsense, errant nonsense, as ever was talked!" cried Mr. Knightley. "Robert Martin's manners have sense, sincerity, and good-humour to recommend them; and his mind has more true gentility than Harriet Smith could understand."

 

Conhecemos Robert Martin pela visão desfavorável de Emma Woodhouse que vê nele uma ameaça para o seu feliz plano de juntar Harriet com Elton. No entanto é por Mr. Knightley que o ficamos a conhecer melhor, uma vez que Robert Martin trabalha para ele.

A alta conta em que Mr. Knightley tem a pessoa Mr. Martin, levam-me cegamente a considerá-lo de forma igual. Mas é a sua constância na paixão por Miss Smith que o valorizam ainda mais aos meus olhos.

 

Desconhecemos os seus sentimentos na primeira pessoa... é-nos dada a conhecer as características da carta em que propõe Harriet em casamento e, mesmo pela visão destorcida de Emma, esta considera-a uma excelente carta! Creio que esta situação não é explícita no livro, mas se sabemos da ajuda que Harriet teve de Emma para escrever a carta de rejeição...poderemos atribuir alguma ajuda de Mr. Knightley na redação da carta de proposta de Mr. Martin?

 

"She read, and was surprized. The style of the letter was much above her expectation. There were not merely no grammatical errors, but as a composition it would not have disgraced a gentleman; the language, though plain, was strong and unaffected, and the sentiments it conveyed very much to the credit of the writer. It was short, but expressed good sense, warm attachment, liberality, propriety, even delicacy of feeling."

 

"Yes, indeed, a very good letter," replied Emma rather slowly -- "so good a letter, Harriet, that every thing considered, I think one of his sisters must have helped him. I can hardly imagine the young man whom I saw talking with you the other day could express himself so well, if left quite to his own powers, and yet it is not the style of a woman; no, certainly, it is too strong and concise; not diffuse enough for a woman. No doubt he is a sensible man, and I suppose may have a natural talent for -- thinks strongly and clearly -- and when he takes a pen in hand, his thoughts naturally find proper words. It is so with some men. Yes, I understand the sort of mind. Vigorous, decided, with sentiments to a certain point, not coarse."

 

 

Mais tarde, pela voz de Mr. Knightley conhecemos o coração destroçado de Mr. Martin.

 

Now, Mr. Knightley, a word or two more, and I have done. As far as good intentions went, we were both right, and I must say that no effects on my side of the argument have yet proved wrong. I only want to know that Mr. Martin is not very, very bitterly disappointed."

"A man cannot be more so," was his short, full answer.

 

É aqui que sabemos que Mr. Martin não está só "embeiçado" pelos lindos olhos de Miss Smith, ele está profundamente apaixonado... um pouco ao estilo de um Capitão Wentworth, mas sem a vertente do ressentimento. Mr. Martin com certeza, fica destroçado, mas os seus sentimentos em relação a Harriet mantêm-se apaixonados, e ele nunca desiste de a conquistar - lembro-me da cena na loja de Mr. Fox (creio que será este o nome)Isto, creio eu, porque ele sempre soube que a recusa de Harriet não viria do coração, mas sim da mão da recente amiga Miss Woodhouse. Mr. Martin, pela descrição de Mr. Knightley, tinha inteligência suficiente para perceber a "teia" em que Harriet estava envolvida. À semelhança de Wentworth, que nunca soube perdoar totalmente Lady Russell, penso que o nosso excepcional Mr. Martin, também nunca soube perdoar Emma Woodhouse.

 

Talvez esta similitude com Wentworth seja um pouco forçada, mas parece-me a mim que faz sentido... ambos tiveram de ganhar pela vida; ambos foram passados para segundo plano por não terem "pedigree"; ambos foram rejeitados pelas amadas por estas terem sido persuadidas a tal... será no mínimo, um "ante-projecto" de Wentworth!

 

2 comentários

Comentar post