Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Jane Austen Portugal

O Blogue de Portugal dedicado à Escritora

Passeando com Harriet Smith (III)

 

Miss Smith recebe a primeira proposta de Mr. Martin quando o "projecto" de Emma ainda estava a começar, havia, portanto, que terminar com tudo aquilo. A persuasão de Miss Woodhouse quando Harriet chega a Hartfield com a carta na mão, surte o seu efeito. É um momento engraçado no livro, uma vez que o desejo de Emma é exactamente o oposto daquele que diz.

 

Harriet, indirectamente influenciada pela amiga, rejeita a proposta. Os desígnios de Emma para o destino de Harriet são incompatíveis com Mr. Martin. Aliás, para Emma, é Mr. Martin que toma um tremendo atrevimento ao considerar Harriet sua igual... já o mesmo não pensa ela em relação à abismal diferença entre Mr. Elton e Miss Smith (curioso!).

 

"Miss Woodhouse, as you will not give me your opinion, I must do as well as I can by myself; and I have now quite determined, and really almost made up my mind -- to refuse Mr. Martin. Do you think I am right?"

 

"Perfectly, perfectly right, my dearest Harriet; you are doing just what you ought. While you were at all in suspense I kept my feelings to myself, but now that you are so completely decided I have no hesitation in approving. Dear Harriet, I give myself joy of this. It would have grieved me to lose your acquaintance, which must have been the consequence of your marrying Mr. Martin. While you were in the smallest degree wavering, I said nothing about it, because I would not influence; but it would have been the loss of a friend to me. I could not have visited Mrs. Robert Martin, of Abbey-Mill Farm. Now I am secure of you for ever."

 

 

Quando conhece Mr. Martin, a opinião de Emma é totalmente parcial e por vias persuasivas transmite à amiga uma imagem de "rusticidade" muito pouco próprias do bom gosto.

 

"They met Mr. Martin the very next day, as they were walking on the Donwell road. He was on foot, and after looking very respectfully at her, looked with most unfeigned satisfaction at her companion. Emma was not sorry to have such an opportunity of survey; and walking a few yards forward, while they talked together, soon made her quick eye sufficiently acquainted with Mr. Robert Martin. His appearance was very neat, and he looked like a sensible young man, but his person had no other advantage; and when he came to be contrasted with gentlemen, she thought he must lose all the ground he had gained in Harriet's inclination. Harriet was not insensible of manner; she had voluntarily noticed her father's gentleness with admiration as well as wonder. Mr. Martin looked as if he did not know what manner was.

 

"He is very plain, undoubtedly -- remarkably plain: -- but that is nothing, compared with his entire want of gentility. I had no right to expect much, and I did not expect much; but I had no idea that he could be so very clownish, so totally without air. I had imagined him, I confess, a degree or two nearer gentility."

"To be sure," said Harriet, in a mortified voice, "he is not so genteel as real gentlemen."

 

Harriet fica um pouco reticente em relação a tudo isto, mas aceita a opinião da amiga e toma-a como a relevante. Imaginemos o confronto de sentimentos que vão no interior daquela criatura... que não sabe se gosta ou não de Mr. Martin; gosta, mas não tem a certeza; mas Emma diz-lhe que ele não é seu igual; atrai a sua atenção para Mr. Elton... enfim! É demais para qualquer um!!

 

 

É natural que as atenções de Harriet se tenham desviado para Mr. Elton. Totalmente permeável como ela é às opiniões de Miss Woodhouse é compreensível que o incentivo forçado que a amiga fazia para o destino conjunto dela com Mr. Elton fosse ganhando forma na sua mente, embora, como sabemos, sem qualquer argumento válido. Emma teve a ilusão de uma ligação de Elton com Harriet e forçou cegamente todas as atitudes do primeiro como interesse na sua amiga e, consequentemente, induziu em erro os sentimentos de Harriet.

 

Podemos achar Harriet um pouco volúvel no que respeita às questões do coração... de facto, como se diz nalguma parte do livro, até parece impossível que Harriet se tenha apaixonado por três homens diferentes em apenas um ano... mas, caríssimas leitoras, o coração das raparigas de dezassete anos não muda assim tanto de século para século, e quem já teve dezassete anos conhece as incoerências dos sentimentos próprios da idade.

 

Mas como já referi no artigo anterior, Harriet escolheu, livre de toda e qualquer influência e escolheu lindamente!

 

2 comentários

Comentar post