Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Jane Austen Portugal

O Blogue de Portugal dedicado à Escritora

A Perfeita Isabella Knightley

 

 

"Mrs. John Knightley era de pequena estatura, mas bonita e alegre, de modos afáveis e de índole notavelmente benévola e afectuosa; com um grande amor pela família, era uma esposa dedicada, uma mãe extremosa e tinha tão terna afeição pelo pai e pela irmã que, não falando no amor pelo marido e pelos filhos, era impossível encontrar afecto mais ardente. Jamais reconheceria um defeito em qualquer deles. Não era mulher de viva compreensão ou perspicácia; e a par da semelhança com o pai, tinha também herdado, em grande parte, a sua compleição; tinha uma saúde delicada, era extremamente cuidadosa com a dos filhos, passava por muitos terrores, era muito nervosa e na cidade apegava-se tanto a Mr. Wingfield como o pai a Mr. Perry. Também tinham muitas semelhanças na benevolência de carácter e no hábito pronunciado de dispensar grande estima aos amigos de velha data"

 

Sempre senti pena de Jane Austen não ter desenvolvido em "Emma" a relação entre Miss Woodhouse e Mrs. Knightley. Jane Austen habituou-nos a relações entre irmãs muito fortes (Orgulho e Preconceito; Sensibilidade e Bom Senso) ou, o contrário, como em Persuasão. Mas aqui em "Emma" isso não sucede, Emma e Isabella são descritas como nutrindo um amor imenso uma pela outra, mas depois, não há um diálogo sequer entre ela e a irmã ao longo da história...

 

Se Emma Woodhouse é descrita como um modelo feminino, Isabella ainda o será mais por representar o protótipo da "mulher perfeita", excelente esposa, uma óptima mão, uma filha dedicada e uma irmã afectuosa. Isabella reúne todas as qualidades de Emma menos, digamos assim, o brilhantismo ou a vivacidade de espírito.

 

 

Mas acima de tudo, Isabella representa o insituto "família" na perfeição. E nisso, é claramente o oposto de Emma, que só descobre essa vocação nas últimas páginas do livro.

 

Isabella tem mais sete anos que a irmã, mas não exerce qualquer influência sobre esta, parece-me que Emma, apesar de mais nova, foi sempre a mais "espevitada" das duas e sobre a qual recaiu sempre mais atenção. O facto de ser tão parecida com o pai - refiro-me àquela tendência hipocondríaca - é capaz de levar, por vezes, John Knightley ao desespero, uma vez que ele nâo é muito complacente com esse tipo de coisas. Fora isso, esse casal representa a denominada "felicidade conjugal". E eu acredito profundamente na felicidade de Isabella, creio que não é meramente aparente.